Aquecedores a gás: como funcionam, quais os riscos e cuidados que você precisa ter

As atividades do cotidiano podem se tornar mais prazerosas e confortáveis utilizando um bom aquecedor a gás. Esta sensação de conforto é potencializada em épocas frias. Dessa maneira, tomar banho e lavar louça, por exemplo, podem ser tarefas mais proveitosas.
No entanto, não é raro que ocorram acidentes com o sistema de aquecimento a gás. Isso pode se dar a diferentes fatores, tais como problemas na instalação, falta de manutenção, uso errado etc.
Dessa maneira, para garantir o uso correto dos equipamentos que são aquecidos pelo sistema, é necessário se atentar a algumas dicas e informações necessárias para manter você e sua família em segurança.
Para tirar suas dúvidas e conhecer mais sobre o sistema que, se utilizado corretamente, poderá ser seu melhor aliado, continue lendo abaixo:

Como funcionam os aquecedores a gás?
Os modelos atuais de aquecimento a gás utilizam um queimador que é envolto por uma serpentina. 
Este modelo é similar ao fogão a gás, de forma que a serpentina é responsável por envolver a água aquecida.
Quando o comando é dado, o fogo é controlado pelo pressostato, que conta com um sensor na rede de água, assim como uma válvula.
Esta, por sua vez, serve para controlar a passagem de gás ao queimador.
Dessa maneira, quanto mais fria estiver água antes de ser aquecida, mais forte será o fogo emanado do queimador.
Consequentemente, a água atingirá a temperatura pré-estabelecida pelo usuário.
A água se mantem aquecida por GLP – Gás Liquefeito de Petróleo, ou por GN – Gás Natural.
Nos casos dos aquecedores de passagem, conforme a água passa pelo sistema de serpentina, ela vai sendo gradualmente aquecida até ser distribuída nas torneiras que foram acionadas.
Assim que uma torneira é aberta, automaticamente o aparelho é acionado.
Já nos casos dos aparelhos por acumulação, também conhecidos como boilers, é necessário que haja uma espécie de reservatório.
Trata-se de um cilindro vertical onde a água ficará armazenada.
Neste caso, o controle da temperatura é feito por meio de um termostato que mantém o aquecimento sob os parâmetros previamente definidos.
A perda de calor, no entanto, é controlada pelo revestimento térmico que o cilindro possui.
O funcionamento ocorre de forma que o fogo fique acesso durante o tempo todo. A chama piloto não precisa de energia elétrica para ser acionada. 
Neste caso, o volume de água a ser aquecida dependerá do tamanho do reservatório, limitando o uso.

Cuidados e riscos com os aquecedores a gás
Como mencionado, os equipamentos de aquecimento a gás podem representar uma ótima solução, sobretudo nas épocas mais frias.
No entanto, é necessário se atentar para evitar acidentes, que pode ser comum para quem negligencia certos cuidados.
Confira abaixo as principais precauções que os usuários devem adotar regularmente:

Manutenção
O equipamento deve ser revisado a cada 8 meses ou conforme indicações do fabricante.
Durante o processo de manutenção, itens como dutos da chaminé, queimadores, pressão e bicos de entrada de gás e água são cautelosamente examinados.
Confira abaixo algumas dicas para utilizar o sistema em segurança:

Feche o registro ao se ausentar
Em situações e épocas em que o local ficará sem nenhum morador ou pessoa para cuidar, o registro de gás deve ser fechado.
Esta é uma precaução bastante recomendada a fim de evitar possíveis focos de incêndio e o mesmo é válido para o gás de cozinha.

Não instale sozinho
Se você não é especialista no ramo, nunca instale ou faça manutenção sozinho. Isso pode representar um grande risco a você e sua família.
Dessa maneira, recorrer a um profissional apto e capacitado é essencial para poder desfrutar de todo o conforto proporcionado por um bom e seguro sistema de aquecimento a gás.
A Bianchi – Engenharia contra incêndio conta com profissionais treinados e qualificados para exercerem a instalação e a manutenção.
Contate-nos, faça um orçamento e desfrute de bons momentos com um lar seguro e devidamente aquecido.