Primeira mulher motorista de transporte coletivo em Apucarana.

Recentemente Gisele Cristina Serafim, de 35 anos, se tornou a primeira mulher motorista de transporte coletivo em Apucarana. 

Gisele, que atualmente integra o time de motoristas da Viação Apucarana Ltda, fez o curso de transporte coletivo e o MOPP – Movimentação Operacional de Produtos

Perigosos na Bianchi – Engenharia Contra Incêndio.

A Viação de Apucarana existe há cerca de 40 anos. No entanto, há apenas um mês uma mulher passou a exercer o cargo de motorista, destoando-se no cenário prioritariamente masculino.

Gisele afirma que os cursos ministrados pela Bianchi foram essenciais para que pudesse ocupar o cargo que almejava. 

O curso de Movimentação Operacional de Produtos Perigosos e o curso de transporte de passageiros são oferecidos pela Bianchi e garantem ao motorista a instrução necessária para que possa fazer suas rotas em segurança.

A proporção de mulheres que trabalham como motoristas no transporte coletivo no país é bem menor do que motoristas homens. Dessa forma, Gisele ainda é exceção, e não regra. 

Assim como o MOPP, o curso de transportes de passageiros é essencial para qualquer motorista que queira seguir no ramo com proficiência e segurança.

Gisele procurou pelos cursos na Bianchi e garante que a empresa atendeu às suas necessidades, oferecendo cursos completos e altamente preparatórios.

Conversamos com a primeira motorista de transporte coletivo em Apucarana. Confira abaixo o que Gisele conta sobre sua experiência:

Quais cursos você fez na Bianchi – Engenharia contra incêndio?
MOPP – Movimentação Operacional de Produtos Perigosos e o curso para transporte de passageiros.

O que te levou a procurar os cursos?
A intenção foi melhorar meu currículo par que pudesse conseguir o emprego.

Qual foi a experiência que você obteve com os cursos disponibilizados pela Bianchi?
Os cursos são completos e foram importantes para me preparar ao mercado de trabalho. 

Você recomenda o curso para outras pessoas que queiram se profissionalizar na área?
Sim, recomendo o curso a quem deseja seguir neste ramo.

Ser uma figura feminina em um ambiente exclusivamente masculino é motivo de orgulho para a mulher que sempre pôde contar com o apoio da família, pois é casada e possui um filho.

Ter se tornado uma figura representativa no município e na região é motivo de honra à motorista, que não mediu esforços ao procurar a Bianchi e que busca incentivar outras mulheres a correrem atrás de seus sonhos. 

O gênero não foi uma limitação, mas sim um impulso que fez com que a motorista buscasse se aprimorar ainda mais e obter a qualificação necessária para alcançar seu sonho, mesmo quando as condições não eram favoráveis, já que dirigir bem não é o único requisito necessário para ocupar o sonhado cargo. 
A Bianchi parabeniza Gisele e busca incentivar tantas outras pessoas, independentemente do sexo, a se aprimorarem e se qualificarem para alcançarem seus objetivos.