Qual é o papel de um técnico de segurança dentro de uma empresa?

O Brasil ocupa a 4ª posição no ranking mundial de acidentes laborais. A estatística identificada pelo Ministério do Trabalho aponta um sério problema no país: ainda poucas empresas realmente investem na segurança do trabalho e no bem estar do colaborador. 
Anualmente, cerca de 700 mil ocorrências são registradas, somando 3,5 milhões de casos entre os anos de 2012 e 2016.
Esta é uma situação que certamente pode ser evitada por capacitados técnicos de segurança, capazes de identificar e prevenir potenciais focos de acidentes.
O prejuízo monetário também aponta números significativos, estima-se que 22 bilhões de reais foram gastos para cobrir acidentes de trabalho, contados a partir de 2012.
Dessa forma, é de extrema importância que empresários e empregadores disponham de técnicos de segurança capacitados para proteger e evitar acidentes laborais.
Para entender melhor como um profissional atua e qual a formação necessária, preparamos este guia. Acompanhe abaixo.
O que faz um técnico de segurança do trabalho?
Os profissionais responsáveis pela segurança laboral também se responsabilizam pela saúde ocupacional, de forma que cabe a eles se dedicarem a melhorar as condições do ambiente de trabalho.
Sendo assim, os funcionários poderão exercer sua função em um ambiente seguro e preparado.
Dentre as práticas delegadas ao técnico de segurança do trabalho, estão as seguintes atividades:
•    Orientar os funcionários para que possam exercer suas funções da forma que anule ou diminua os riscos;
•    Orientar os funcionários quanto à importância do uso correto dos Equipamentos de Proteção Individual – EPI;
•    Emitir pareceres técnicos que abranjam os potenciais focos de riscos e propor as devidas ações para impedir tais riscos;
•    Inspecionar o ambiente de trabalho e as condições dos equipamentos de proteção;
•    Conhecer e informar os funcionários sobre as legislações que regem assuntos relacionados à segurança laboral, assim como aos seus direitos e deveres;
•    Promover treinamentos de ações de prevenção de acidentes, avaliar tais resultados e propor soluções a serem adotadas diante das situações;
•    Se valer de recursos pedagógicos como palestras, dinâmicas e reuniões a fim de promover a conscientização das normas de higiene e segurança no ambiente de trabalho;
•    Traçar estratégias para evitar acidentes e contaminações oriundos da má higiene laboral;
•    Orientar, cuidar e inspecionar a forma como resíduos tóxicos estão sendo evacuados de forma que não agrida o meio-ambiente;
•    Orientar funcionários sobre os riscos de se trabalhar em ambientes confinados e insalubres, tais como os danos à saúde e riscos de incêndio e explosão.
Benefícios da profissão
Toda empresa ou indústria que possui profissionais qualificados para atuar nos cuidados com a saúde e a segurança dos funcionários, tem os riscos de prevenção de acidentes exponencialmente reduzidos. 
Dessa forma, o ambiente corporativo passa a ser muito mais seguro e efetivamente preparado para combater focos de incêndio, acidentes, problemas hidráulicos, elétricos etc.
Nos cursos de capacitação, que formam os técnicos de segurança do trabalho, aprende-se as normas e leis vigentes, uso correto e inspeção dos equipamentos de segurança, metodologias de avaliação e inspeção de focos de riscos, assim como as normas que regulam a higiene laboral, a saúde dos funcionários e os cuidados relativos à evacuação de dejetos e lixos em geral.
Doenças ocupacionais, prevenção e combate a incêndios e ergonomia são apenas algumas matérias estudadas nos cursos, que preparam profissionais aptos a exercerem a profissão com proficiência.
Outra vantagem primordial de contar com profissionais qualificados é promover uma boa qualidade de vida laboral aos empregados.
Dessa forma, os funcionários não apenas correm menos riscos em acidentes, mas poderão trabalhar em um local que oferece a devida proteção, segurança e promove o bem-estar dos trabalhadores, criando um ambiente muito mais agradável.